Por que uma Internet com boa qualidade é um grande diferencial para o seu hotel?

Redação hotelflow Sem categoria Leave a Comment

Ter Internet de qualidade é um requisito superimportante nos dias de hoje. Vivemos em uma era em que é difícil encontrar quem não esteja conectado à rede. Isso pode ser percebido no trabalho, nas ruas e em nossas casas.

O uso massivo dos Smartphones para acessar e-mails, mídias sociais, aplicativos como o WhatsApp, realizar pesquisas no Google, por exemplo, torna imperativa a necessidade de Internet de qualidade.

Muitas pessoas fecham negócios, encontram trabalho, marcam reuniões, assistem à TV ou simplesmente gastam seu tempo na Internet compartilhando fotos e comentários. O que sugere que os mais variados pontos onde haja certa aglomeração de pessoas precisam estar atentos a essa situação e dispor de uma Internet de qualidade para clientes ou visitantes.

Isso vale para ambientes públicos, como parques, shopping centers e casas de espetáculo, por exemplo. E também para lojas, restaurantes e principalmente hotéis, hostels e pousadas. Uma viagem, seja a negócios ou a passeio, não será totalmente completa e bem realizada sem o acesso à rede por parte dos hóspedes.

Por que uma internet de boa qualidade é tão importante para o seu hotel?

Como vimos, nos dias de hoje fazemos quase tudo com a dependência da Internet. No caso específico dos hotéis, a existência de Wi-Fi gratuita já é um quesito muito levado em conta por parte dos hóspedes no momento de escolher sua acomodação para uma viagem.

É muito comum também encontrar o hóspede procurando o sinal do Wi-Fi com seu smartphone já na entrada do local, antes mesmo de realizar seu check-in. Há pessoas que dependem mais do que as outras em estarem conectadas. Uma coisa é comum a todos: as pessoas desejam estar em contato com a família e amigos através de suas redes sociais e aplicativos.

Segundo os profissionais do setor hoteleiro, muitos chegam a utilizar até dois dispositivos em um quarto de hotel, onde se encaixam também os tablets e os notebooks. Há quem aposte que a importância da presença de uma Internet de qualidade em um quarto vem à frente do conforto oferecido durante uma estadia.

O grupo hoteleiro IHG (International Hotels Group) realizou há pouco tempo atrás uma pesquisa sobre o assunto. Dos 10 mil hóspedes entrevistados, 40% afirmaram que ficar sem Internet em uma viagem é a pior coisa que pode acontecer. Outro dado interessante é que 61% deles afirmaram que a presença de Internet no hotel é mais importante que o frigobar.

Mas não é só o fato de compartilhar fotos dos passeios ou dividir o sentimento de alegria de uma viagem que movem essas pessoas. Atualmente, é comum acessarmos a Internet nos hotéis para traçarmos um roteiro turístico, além de buscar informações sobre os melhores restaurantes e bares para visitar.

Outras atitudes comuns são fechar um passeio de última hora e até mesmo realizar o check-in para o voo de volta para a casa – se for o caso, claro.

Para os empresários e profissionais que viajam a trabalho, muitos negócios são realizados através da Internet dentro de um quarto de hotel. Há ainda a necessidade de marcar reuniões e enviar relatórios, por exemplo. Dependendo da situação, há quem precise trabalhar conectado diretamente do hotel o dia todo.

E não podemos esquecer que o próprio estabelecimento depende também de uma Internet de qualidade para que seu sistema operacional funcione perfeitamente.

5 atitudes simples de resolver que podem prejudicar a qualidade do seu Wi-Fi

Você sabia que o Wi-Fi pode estar sofrendo alguma interferência simples de resolver? E que isso pode gerar um melhor sinal que aumentará a qualidade da Internet? A partir dessa constatação, vamos conhecer 5 atitudes para ajudar a melhorar a transmissão do seu Wi-Fi.

1. Posição do roteador

Talvez esse seja um dos problemas mais comuns e de simples solução. A localização incorreta onde o roteador está instalado interfere diretamente na distribuição do sinal do Wi-Fi. Consequentemente, o sinal é recebido pelos dispositivos com má qualidade.

Basicamente, o roteador não deve estar fixado nas extremidades de um ambiente. Se você tem um roteador em sua casa, por exemplo, mantenha-o na região central da residência. Ao encontrar-se em uma extremidade, o sinal emitido, que sairá com muita potência, perderá essa força ao longo do caminho.

Assim, chegará aos dispositivos que se encontram centralizados, e também em outras extremidades, de maneira cada vez mais fraca. Quanto mais paredes entre o roteador e o dispositivo, menor será a qualidade da Internet.

A posição do roteador interfere diretamente na qualidade da internet

2. Dispositivos conectados ao mesmo tempo

Sabemos que quanto mais dispositivos conectados ao mesmo tempo, menor será a potência recebida por cada um deles. O que muitos de nós não temos ciência é que um dispositivo que esteja recebendo um sinal fraco influenciará ainda mais na redução da velocidade em que todos os outros se conectarão.

Isso vale para o exemplo do primeiro aspecto que mencionamos. Quando o sinal precisa atravessar muitas paredes, esse dispositivo suga a potência do sinal mais que o necessário. Assim como celulares que estejam no bolso e com sua rede Wi-Fi ligada.

Somando esses dois fatores, salientamos que o próprio roteador precisa ser de qualidade. Sua potência também varia de acordo com a marca e o modelo. Sem contar que o número de antenas existentes influencia diretamente na distribuição do sinal. Recomenda-se ainda que as antenas do roteador estejam no mínimo a 1,5 m do chão.

Quanto mais dispositivos móveis ligados, mais seu Wi-Fi será sugado.

3. Presença de eletrodomésticos

Aparelhos eletrodomésticos ligados à rede elétrica podem influenciar na alimentação da energia do roteador. Isso ocorre quando essa rede não possui filtros. A dica dos especialistas para a solução deste problema é colocar o ponto de acesso à rede protegido por um nobreak.

Nobreak é um equipamento responsável por regular a voltagem e a pureza da energia que alcança os eletrônicos conectados a esse dispositivo. Em resumo, trata-se de um filtro de energia com bateria.

Eletrodomésticos ligados interferem diretamente no sinal do Wi-Fi.

4. Bluetooth ligado

O Bluetooth é um dispositivo que também faz o uso de ondas de rádio para a transmissão de dados. Assim, ele pode interferir na rede Wi-Fi.

Mesmo que essa tecnologia não seja tão utilizada mais nos dias de hoje, ainda há aparelhos antigos que não possuem hardware mais atual. Portanto, se for o caso, mantenha seu Bluetooth desativado.

Desative o Bluethooth para melhorar o sinal do Wi-Fi

5. Rede sem senha

Uma Wi-Fi aberta, ou seja, sem proteção de uma senha, irá causar muita dor de cabeça em algum momento. Esse expediente permite que qualquer dispositivo que esteja dentro da área de cobertura possa se conectar a sua rede.

Além dos perigos existentes de pessoas estranhas utilizando sua Wi-Fi, o sinal será enfraquecido em sua distribuição por conta da distância do roteador em relação a esse dispositivo estranho. Lembre-se: quanto mais dispositivos conectados, a partir de sua localização, menor será a qualidade da Internet.

Proteja sua rede com senha.

E se você tiver outras dicas, informações ou dúvidas sobre a importância de uma boa Internet em hotéis, além de maneiras para melhorar a qualidade de um sinal, compartilhe conosco seus comentários.

Por que a geração millennials está revolucionando a hotelaria?

Redação hotelflow Sem categoria Leave a Comment

A geração millennials, também conhecida como geração Y, é constituída pelas pessoas nascidas entre os anos de 1980 e 1996. Eles totalizam aproximadamente 1,8 bilhões de pessoas em todo o mundo.

Como características principais, entendemos que os millennials nasceram para serem livres pensadores, conectados, famintos e questionadores por natureza. São os indivíduos com mais acesso à educação, especialmente quando se trata das mulheres.

Em virtude desse acesso à educação, tal geração fez surgir um mercado de trabalho bem mais competitivo. Especialmente após a crise econômica global de 2009, momento em que muitos millennials começaram a trabalhar. Mas não se engane. Eles costumam quebrar todas as regras dos escritórios, por exemplo.

Essa geração consegue fazer algo impensável para gerações anteriores, como lidar com o lado profissional e pessoal ao mesmo tempo. Eles cresceram vendo seus pais sacrificarem suas vidas pessoais por objetivos profissionais, e não estão dispostos a fazer o mesmo. Os millennials gostam de um ambiente de trabalho mais ou tão flexível quanto eles mesmos.

São esforçados, assertivos, opinativos e têm um nível de criatividade acima da média. O que favorece a busca e a aposta em novas iniciativas. Também são menos consumistas que os seus pais, fogem do endividamento e buscam angariar experiência ao invés de bens materiais.

Os millennials gostam de mudança e não se impressionam por propostas que gerarão resultados daqui a anos e anos – principalmente propostas profissionais. São multiculturais e tolerantes, já que são filhos da globalização.

A geração Y é aquela que acha que sabe tudo. Eles sabem instintivamente como encontrar um dado ou resposta, por exemplo. E geralmente conhecem muito de tecnologia. Mexem em tudo para aprender o mais rápido possível. Sem contar que são os primeiros nativos digitais, ou seja, que já cresceram com a presença da Internet.

A partir de todas essas características, entendemos o motivo de mudanças estarem ocorrendo em muitos campos atualmente. Os millennials não querem nada formatado como antigamente. Eles sabem se virar e desejam encontrar o melhor custo-benefício em tudo, agindo sempre de maneira racional.

Millennials: uma geração ativa e bastante racional.

Por que a geração millennials está revolucionando a rede hoteleira?

Como já pudemos perceber, a geração millennials não iria aceitar o formato comum de hospedagens em hotéis durante suas viagens. Até porque suas aventuras como um todo não estariam baseadas na maneira como seus pais se acostumaram a fazer.

Um dos dados mais interessantes dessas pessoas em relação as viagens é que eles serão o grupo com o maior gasto até 2020. Em contrapartida, eles não se preocupam em dividir seu espaço durante dias ou semanas enquanto estão na estrada.

Isso tudo significa que a geração Y deu vida aos hostels, onde se pode dividir um quarto com outras pessoas, aliando um gasto muito menor na acomodação com a experiência de conhecer novas culturas, línguas e fazer novas amizades.

Essa geração deu vida também ao Couchsurfing, um site em que você consegue apenas um lugar no sofá de uma pessoa desconhecida disposta também a receber um estranho e gratuitamente. Esse expediente é comum em países europeus, onde a cultura da partilha de um espaço de convivência é mais comum que no Brasil.

Hoje, os millennials experimentam ainda o Airbnb, onde podem reservar um quarto privativo em um apartamento disponível qualquer, pagando pouco e tendo mais conforto que em hostels. Além de poderem utilizar a cozinha do local, caso o dono a disponibilize. O que normalmente acontece.

É claro que os hotéis não foram e não serão deixados de lado. Nem mesmo pelos millennials. Mas a sede dessa geração por mudança e a busca por um método mais simples e eficaz de fazer as coisas têm sugerido certos ajustes no setor hoteleiro.

Segundo mostrou um estudo da 4Hoteliers, um dos mais importantes portais de hotéis do mundo, grande parte desses turistas procura uma experiência global gourmet por um preço razoável. Isso tem originado novos lobbies nesse setor.

Outras questões têm alterado a maneira dos hotéis em enxergarem seus clientes. A geração Y é plugada em tecnologia, como já citamos anteriormente. Portanto, o que antes era feito manualmente por outras gerações, hoje deve ser feito necessariamente também via Internet.

Tudo começa com a busca pela hospedagem. Seja em hostels, pousadas, Airbnb e nos próprios hotéis. Há plataformas especializadas em divulgar tudo o que o local oferece, como o TripAdvisor, por exemplo, que constitui uma fonte riquíssima no assunto.

Pensando exclusivamente nos hotéis, que é o nosso propósito neste artigo, todos eles devem estar presentes nessas plataformas. É onde o internauta busca não apenas informações sobre o que o local oferece, mas também comentários e classificações deixados por turistas que já se hospedaram por lá. Lembre-se de que a maioria desses hóspedes é constituída por integrantes da geração Millennium.

Nessas plataformas eles analisam quesitos como localização, limpeza, ruído, atendimento e tantos outros fundamentais para estabelecer a relação custo-benefício. Em plataformas como o Booking.com, por exemplo, pode-se já realizar a reserva das diárias. O cliente consegue também contatar o hotel por e-mail.

E tem mais… Fazer o check-in online também é um comportamento típico dessa geração. Em resumo, eles querem que tudo seja feito pelo computador, a qualquer momento e em qualquer lugar.

E se a experiência não for animadora, comentários negativos serão expostos em mídias sociais. Inclusive na página do hotel no Facebook. Em casos em que os usuários ficam satisfeitos, eles também indicarão positivamente o local através das mídias sociais.

Portanto, o setor hoteleiro tem de acompanhar essa necessidade dos millennials e se adaptar a todo instante às mudanças sugeridas por eles. Em algum momento, até mesmo os mais jovens e adeptos dos hostels migrarão para os hotéis. Afinal, eles também se casam e têm filhos.

Todavia, devemos ter em mente que, antes de fazer uma escolha e pagar por ela, um millennial vai investigar o que determinada marca, produto ou serviço pode acrescentar à sua vida ou ao momento em que ele busca. Nesse caso específico, em sua viagem.

Os millennials buscam resolver o máximo de coisas possível através da Internet.

O que os viajantes da geração Y buscam em seus passeios?

Basicamente, os viajantes da geração Y buscam experiências incríveis e inesquecíveis em seus passeios. Essas experiências devem ser encontradas nos tours a serem realizados, nos restaurantes e museus a serem visitados e também na acomodação paga.

Os millennials não estão preocupados em adquirir posses em suas viagens. O mais importante é investir seu dinheiro para conhecer em um atrativo turístico histórico e ver com os próprios olhos o que só era possível pela TV ou Internet. Eles querem desfrutar da gastronomia local e se misturar com os nativos nas ruas.

Em resumo, eles sempre escolherão hotéis que os ajudem a vivenciar essas novas experiências e culturas. Um hotel que ofereça tours será um atrativo a mais para chamar esses clientes. Principalmente passeios incomuns.

Os atrativos tradicionais a serem visitados certamente eles já buscaram pela Internet. Mas aquele ponto que só um local conhece e sabe que é diferente despertará a curiosidade de quem é ávido pelo novo.

Os viajantes da geração Y também curtem viajar sozinhos. Algo nada comum para os mais velhos. Inclusive as mulheres dessa faixa etária não enxergam muitos problemas em conhecer lugares diferentes sozinhas. Assim mostra uma pesquisa realizada pela Topdeck Travel, uma empresa norte-americana de turismo voltada para os millennials.

A pesquisa afirma que essas pessoas costumam viajar sozinhas, mas buscam se reunir em grupos. Assim, aproveitam para fazer o que querem e na hora que querem. Encontram companhia e conhecem novas pessoas.

Claro que cada passo dado em uma cidade ou país novo é compartilhado através de comentários e fotos no Facebook e no Instagram. Estudos indicam que 97% dos millennials utilizam desse expediente enquanto estão viajando, sendo tudo muito instantâneo.

Como os millennials reservam hotéis, hostels e pousadas?

Já vimos que os millennials reservam sua acomodação através da Internet. Isso pode ser feito através dos sites dos próprios hotéis, hostels e pousadas. Mas também por conta de plataformas e aplicativos.

Uma pesquisa do Sebrae mostrou que os dispositivos móveis foram os preferidos pela geração Y para pesquisar e reservar hotéis no ano de 2016. Ao todo, 40% dos pesquisados reservaram um hotel pelo celular, enquanto 13% afirmaram que fizeram o mesmo procedimento pelo tablet. Portanto, ser multicanal é uma obrigação da rede hoteleira.

A pesquisa mostrou também que 31% deles pesquisam hotéis com um a três meses de antecedência. E 29% realizam essa pesquisa com antecedência de três semanas a um mês.

Lembra que falamos das mídias sociais e dos comentários? Pois, então, saiba que 83% dos millennials confiam em indicações de familiares, amigos e colegas de trabalho; 81% creem em sites de avaliações, como o TripAdvisor; e 58% confiam em sites de hotéis.

Uma das plataformas mais completas e utilizadas para pesquisar uma acomodação, fazer comparações entre elas, analisar os comentários existentes, observar as fotos do local e finalizar uma reserva é o Booking.com. Juntamente com o Hostelworld e Hostelbookers. Acomodações de todos os níveis e em todo o mundo fazem parte desses bancos de dados.

Além de todo o processo ser realizado em um só lugar, o internauta ainda dispõe de facilidade no caso de cancelamento. E muitas vezes encontramos descontos especiais aos viajantes. Uma tática muito interessante que surge como diferencial entre os sites é a oferta de conteúdo escrito e fotográfico sobre turismo. Algo que a geração Y adora ler.

E por falar em desconto, o Airbnb oferece R$100 de bônus na primeira reserva conseguido através de um convite de alguém que já utilizou a plataforma. Após pagá-la com esse desconto, você estará apto a oferecer esse mesmo bônus para amigos. Assim que seus amigos aceitarem seu convite, você ganha mais descontos para sua próxima hospedagem.

Dessa maneira, o aplicativo tem crescido vertiginosamente na preferência dos millennials, já que é possível se hospedar bem, sozinho e com a chance de ficar com uma família nativa. Ótima opção para a troca de cultura e contato com outro idioma em caso de viagens ao exterior.

O Booking.com é uma das plataformas de reserva de hotéis preferidas dos millennials.

O que os millennials preferem: hotel ou hostel?

A preferência por parte dos millennials, nesse caso, é com relação aos hostels. As razões para isso são as seguintes:

  • Preços bem mais baixos das diárias, até mesmo em quartos privativos;
  • Cozinha disponível para preparar suas próprias refeições;
  • Esmagadora maioria de hóspedes jovens;
  • Oportunidade de dividir quartos com pessoas de outras nacionalidades;
  • Existência de quartos mistos;
  • Troca de conhecimento cultural e contato em outro idioma;
  • Troca de informações sobre atrativos turísticos e baladas no local visitado;
  • Possibilidade de fazer novas amizades que possam gerar novos encontros em outros lugares;
  • Festas noturnas ou presença de bar no próprio hostel;
  • Normalmente os holstel promovem tours;
  • Liberdade com relação ao vestuário;
  • Áreas comuns compartilhadas para interatividade;
  • Decoração alegre, colorida e despojada;
  • Wi-fi grátis, sala de leitura e biblioteca em alguns hostels.

Não há dúvidas de que os preços cobrados pelos hostels é um dos itens que mais chamam a atenção no momento de se reservar uma hospedagem. Principalmente para os mochileiros, que pulam de um lugar para o outro. Sem contar a chance de cozinhar sua própria comida e ainda economizar com restaurantes.

Aliado ao preço, encontra-se a chance de conhecer novas pessoas e fazer novas amizades. Trocar conhecimentos e informações é o que move um viajante millennial. Expediente que não ocorre em um hotel. O mesmo vale para a interação com o staff.

Em um hostel, a relação da recepção e demais funcionários é muito próxima. Eles praticamente se misturam com os hóspedes. Por isso é comum encontrar funcionários que são viajantes e estão trocando a acomodação por trabalho.

Alguns para ganhar um trocado e bancar seus deslocamentos; outros para melhorar o inglês ou qualquer outro idioma. Atitude, aliás, comum para muitos intercambistas brasileiros no exterior, que escolhem trabalhar em hostels. Assim, resolvem duas situações (dinheiro e idioma) de uma só vez.

Vale frisar que a cultura de se hospedar em hostels também cativa muitos viajantes mais velhos e que não fazem parte da geração Y. Muito por conta da existência não só de quartos privativos para solteiros e casal, mas também porque muitos desses quartos dispõem ainda de banheiro privado. Ou seja, conforto e comodidade a preços bem acessíveis.

O ambiente alegre e descontraído é uma característica marcante dos hostels.

Agora é sua vez de expressar seus conhecimentos sobre a geração Millennium. Você é um deles? Se comporta como tal? Existe alguma coisa diferente em seu comportamento daquilo descrito? Como é sua relação com as viagens e hospedagens? Como você escolhe sua acomodação e qual sua preferência? Aproveite e compartilhe conosco seus comentários.

Auxiliar x Ajudante de cozinha: o que faz cada profissional?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

Você já sabe que uma boa equipe é indispensável para o excelente funcionamento de um hotel ou pousada. A comida servida é um item que deve receber uma atenção especial, e um dos aspectos que devem ser esclarecidos é a diferença entre um ajudante e um auxiliar de cozinha.

Por mais que muita gente pense que são formas diferentes de denominar a mesma função, os profissionais que a exercem recebem atribuições distintas. No entanto, ambos são essenciais para o dia a dia de uma cozinha profissional.
Read More

Quais principais qualidades um gerente de hotel deve ter?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

Um gerente de hotel desempenha um dos papéis mais importantes no bom andamento de qualquer estabelecimento, independentemente do porte, local e outros aspectos. É ele, principalmente, quem determina as atitudes que definem o sucesso de um empreendimento.

Obviamente, o fracasso de um hotel também pode passar pelas mãos desse profissional. Por isso, uma boa preparação e algumas características pessoais são indispensáveis, como você verá logo a seguir.

O próprio dono ou um funcionário designado podem exercer a função de gerente de hotel. O geral coordena o trabalho dos outros gerentes, dando suporte para que tudo funcione em perfeita harmonia. E não é só isso. Ele pode, também, contratar e dispensar funcionários, orientando e supervisionando o trabalho de toda a equipe.

A seguir, saiba tudo sobre o trabalho de um gerente de hotel, como salários, mais detalhes de atribuições, entre outras informações. Para começar, veja quais são as qualidades que todo profissional com essa responsabilidade deve ter.

Read More

Camareira: quanto ganha e quais as preocupações dessa profissional?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

O serviço de uma camareira é de extrema importância para manter os apartamentos e as suítes de hotéis, pousadas e motéis em ordem. E, por consequência, o bom funcionamento do próprio estabelecimento.

Essas profissionais são responsáveis pela limpeza diária dos quartos, higienização dos banheiros, troca das roupas de cama e toalhas e a conferência dos itens do frigobar, repondo aquilo que já foi consumido de um dia para o outro.

As camareiras ajudam também na limpeza e organização das áreas comuns de hotéis. E ainda circulam e complementam seus afazeres na lavanderia. Em resumo, elas responsabilizam-se pelo bem-estar dos hóspedes em seus apartamentos.

Esse é um trabalho que requer muitos cuidados, pois deve haver um certo zelo pelos objetos pessoais dos hóspedes e respeito pela maneira como esses clientes gostam ou não de encontrar seus aposentos após chegarem de um passeio, reunião ou trabalho.
Read More

Quais as atividades mais importantes de uma recepcionista qualificada?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

Ao se hospedar em qualquer hotel, independentemente de porte, tipo ou características gerais, o primeiro contato que qualquer pessoa tem é com as atividades de uma recepcionista.

Por essa razão, ela pode ser considerada o cartão de visitas de um hotel. Seu trabalho é importantíssimo, pois ela é responsável pela primeira impressão que se tem de um local.

As atividades de uma recepcionista são importantíssimas para a boa reputação de um hotel ou pousada.

Uma boa qualificação é fundamental para que a profissional consiga unir as qualidades que já possui com o que a empresa espera dela e de seus serviços.

Read More

11 dicas certeiras para administrar um hotel

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

Assim como a grande maioria dos empreendimentos, administrar um hotel requer grande atenção a uma série de detalhes e dedicação intensa, que pode ir muito além do horário de trabalho.

Afinal, há uma equipe que trabalha no local, que precisa estar treinada, satisfeita e motivada. Isso tem como consequência a satisfação do cliente, um dos principais objetivos de qualquer negócio.

Aliás, esse é um tópico que merece uma atenção especial. Um cliente satisfeito não é apenas a garantia de um serviço bem feito. O seu estabelecimento torna-se prioridade, confirmando uma fidelização que pode durar anos.

Ademais, uma recomendação positiva traz novos clientes, que por sua vez podem indicar seu hotel para várias outras pessoas.

Read More

Como montar um saboroso café da manhã no seu hotel?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

O café da manhã em hotéis e pousadas deve ser, além de muito atrativo, preparado sempre com atenção e esmero para o dia dos hóspedes começar da melhor forma possível.

Boa parte dos hóspedes de um hotel começa seu dia logo cedo, seja por motivo de trabalho ou por lazer. Para aguentar a jornada e todas as suas atividades, a maioria das pessoas dedica um tempinho da manhã, antes de sair, para tomar um bom café.

Essa é uma refeição muito importante, pois repõem a energia perdida durante a noite e dá disposição para o dia ser mais produtivo. Por ser tão relevante em nossas vidas, o café da manhã sempre foi um grande diferencial em hotéis e pousadas, sejam de pequeno, médio ou grande porte.

Quanto melhor e mais atrativo for o buffet, maiores as chances de o hóspede sair satisfeito, tornando-se cliente do seu empreendimento e, provavelmente, indicando-o a outras pessoas, que podem vir a se tornar futuros hóspedes.

Para isso, é fundamental oferecer um cardápio com qualidade e variedade na comida, um excelente atendimento por parte dos funcionários, além de um ambiente agradável que faça todos se sentirem bem recebidos.

Sendo assim, selecionamos neste artigo as informações necessárias para proporcionar um excelente café da manhã todos os dias e colocar seu hotel na lista de preferidos dos clientes.

Read More

Enxoval para hotel: quais os desafios a enfrentar?

Redação hotelflow Divulgação Leave a Comment

Você sabia que a identidade visual de uma empresa deve estar sempre ao alcance de seu público-alvo, independentemente de seu ramo de atuação? Por isso, o enxoval de hotelaria deve mostrar o máximo possível dos seus valores, missão e estilo.

O enxoval é parte da personalidade de um hotel e pousada e, por isso, sua escolha deve ser planejada.

Essa não é uma tarefa simples, mas não é por isso que se deve declinar dela. É muito importante não apenas selecionar a melhor cor e o melhor material, mas também administrar o manuseio desse enxoval, como lavagem e troca, por exemplo.

Um bom planejamento é essencial nessas horas. Ao criar uma rotina na qual tudo funcione de forma automática, seu hotel terá sempre peças novas e limpas e, com os cuidados necessários, a vida útil de cada item aumenta.

Saiba a partir de agora tudo sobre enxoval de hotelaria, desde a escolha das melhores peças, passando pela lavagem e administração. Afinal, esse é um item que estará em contato direto com os seus clientes e, nessa condição, precisa estar muito bem cuidado.

Read More

Emissão de Nota Fiscal (NFS-e)

Eduardo Silva Nota Fiscal Leave a Comment

O hotelflow pode ser utilizado para emitir notas fiscais com apenas alguns cliques.
Os campos da nota fiscal são preenchidos automaticamente com os dados do hóspede e da estadia diminuindo a margem para erros no processo de emissão.
Existe também a possibilidade de personalizar os itens que são informados no campo de descrição bem como definir quais usuários podem modificar a descrição e o valor da nota.

Este serviço requer a contratação de um provedor de emissão externo e está sujeito à disponibilidade por região.